Resposta ao SINPRFGO

2
Policial Penal Camilo teve três dentes quebrados e levou 12 pontos na orelha

Na última quinta-feira (13), o Sindpen publicou nota de repúdio à ação de policiais rodoviários federais lotados em Goiânia que, com truculência, despreparo, abuso de autoridade e uso excessivo e desproporcional da força, prenderam ilegalmente dois policiais penais do Distrito Federal.

Devido à publicação, o Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais em Goiás (SINPRFGO) se sentiu ultrajado e enviou uma notificação extrajudicial ao Sindpen, com teor intimidatório e de censura.

NOTIFICACAO_EXTRAJUDICIAL_SINPRFGO

Segue, na íntegra, a resposta do Sindpen à notificação extrajudicial.

RESPOSTA AO SINPRFGO

O Sindicato dos Policiais Penais do DF – SINDPEN-DF, em resposta a NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL emitida pelo Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado de Goiás – SINPRF-GO, vem a público se manifestar nos seguintes termos:

a) Que o SINDPEN/DF, inicialmente, esclarece que, ao contrário do que se tenta insinuar na referida notificação, não há qualquer conduta por parte desse sindicato contra a instituição PRF, força policial para a qual guarda grande respeito e admiração. A manifestação do SINDPEN/DF foi direcionada aos policiais rodoviários federais envolvidos no ato covarde promovido contra os policiais penais do DF, portanto, não há que se falar em conduta abusiva e ilícita, mormente em danos morais praticados pelo SINDPEN/DF;

b) Que reiteramos os termos da nota de repúdio ora atacada pelo SINPRF-GO, que pode ser visualizada no seguinte sítio de internet: https://sindpen.org.br/nota-de-repudio/ ;

c) Que os Policiais Rodoviários Federais sabiam que estavam abordando Policiais Penais do DF, e mesmo sem que houvesse reação contra a abordagem agiram com brutalidade, demonstrando total falta de preparo para a atividade policial, especialmente quando não houve qualquer justificativa para os atos selvagens vistos nas imagens de câmeras de segurança;

d) Que considerando os danos físicos (perda de três implantes dentários, doze pontos em sua orelha, hematomas em diversas partes do corpo, especialmente face) e psicológicos sofridos pelo Policial Camilo, este SINDPEN/DF irá recorrer à Justiça contra todos os policiais rodoviários federais envolvidos;

e) Que se houve qualquer mácula à imagem da PRF, esta foi causada pela própria conduta negativa dos policiais rodoviários federais envolvidos, que não agiram da maneira que deles era esperada;

f) Que o art. 139 do Código Penal, em seu parágrafo único, prevê a exceção da verdade, razão pela qual o SINDPEN/DF mantém sua postura e não descansará enquanto não houver a ilesa apuração dos fatos e responsabilização de todos os agressores dos Policiais Penais do DF;

g) Que o SINDPEN/DF suspeita que houve combinação prévia nos depoimentos prestados pelos PRFs envolvidos, em uma tentativa de escamotear a verdade e justificar os atos de covardia praticados, conforme filmagens, depoimentos e outros documentos que serão apresentados em momento oportuno.

h) Que encaramos a notificação extrajudicial do SINPRF-GO como tentativa de censura e acobertamento, razão pela qual lamentamos a postura da entidade;

Dessa forma, considerando todo o acima exposto, informamos ao SINPRF-GO que não haverá descanso até que ocorra a devida elucidação dos fatos.

Seguros de nossa conduta, execramos qualquer tentativa de ocultação da verdade.

 

PAULO ROGÉRIO
Presidente do Sindpen/DF

2 Comentários
  1. Reginaldo Diz

    Concordo plenamente como Sindpen df e achei uma convardia por parte dos prf e um absurdo a postura de seu sindicato. Isso não pode ficar de graça, isso não se faz nem com vagabundo condenado.

  2. Curso de auriculoterapia Diz

    Aqui é a Fernanda parabéns pelo conteúdo do seu site gostei muito deste artigo, tem muita qualidade vou acompanhar o seus artigos.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Faça seu comentário, deixe sua impressão. Essa inteiração é muito importante para nós!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta instituição.

EnglishPortugueseSpanish
Skip to content