Serviço voluntário é tema de reunião entre Sindpen e Sesipe

0

A direção do Sindpen-DF esteve na manhã dessa quarta-feira (12) em reunião na Sesipe, para tentar sanar os problemas oriundos do Serviço Voluntário Gratificado. Desde sua implantação, em novembro de 2019, a oferta das vagas vem sofrendo ajustes para se adequar à realidade e necessidades do Sistema Penitenciário. Na discussão, o sindicato levou as reivindicações e propostas de melhorias enviadas pela categoria.

Participaram da conversa o subsecretário do Sistema Penitenciário, Adval Cardoso de Matos, o coordenador-geral da Sesipe, Érito Pereira, o presidente do sindicato, Paulo Rogério, o presidente-adjunto, Aldon Moreira, e os dirigentes sindicais Claudine, Pires e Proença, além do policial penal Elton, gerente de Apoio Administrativo, e do policial penal André Almeida, gerente de Tecnologia da Informação da subsecretaria.

Segundo Paulo Rogério, o encontro foi muito proveitoso, pois tanto a GAA quanto o setor de informática, se mostraram bem abertos a sugestões. “Propusemos a abertura de vagas de 12 horas noturnas e 24 horas, além de atentarmos quanto à necessidade de melhorar o sistema de marcação que estava muito lento. Também tratamos da necessidade de desenvolver um mecanismo para que a disputa por vagas seja mais igualitária, para que ninguém se sinta prejudicado”, explicou o dirigente.

Paulo se mostrou confiante de que os problemas que afligem a categoria, em relação a marcação do Serviço Voluntário, sejam sanados com a maior brevidade. “Ficou clara a intenção da Sesipe de fazer com que o trabalho se desenrole da melhor forma possível”, afirmou.

Ao receberem as propostas, Adval e Érito informaram que já vinham pensando em algumas mudanças para melhorar o sistema e ficaram de avaliar as sugestões apresentadas pelo sindicato.

Núcleo de Informática apresenta novo sistema

No final da tarde, o Núcleo de Informática da Sesipe divulgou um vídeo apresentando mudanças implementadas no sistema de marcação. No novo formato desenvolvido, o policial penal terá acesso a informações importantes, como suas punições e afastamentos.

Também foi implementado um filtro por horário de início do serviço voluntário. Assim, quem é do expediente poderá acessar com precisão as vagas de interesse. Antes da mudança, o sistema carregava todas as vagas disponíveis, dificultando a marcação para quem tivesse restrição de horário.

“Se o policial penal encerra seu expediente às 16h, basta que ele pesquise por vagas que iniciam às 16h30, por exemplo. Ficou tudo bem mais simples e mais rápido”. Explicou o policial penal Hudson Alves Moreno, um dos desenvolvedores do software de marcação.

Moreno também apresentou outra inovação. Segundo ele, o sistema passou a notificar sobre as punições. “Quando o policial penal for desmarcar o serviço voluntário, antes de concluir o processo, aparecerá a informação de que haverá punição ou não, conforme a portaria 141, de 14 de outubro de 2019. Desta forma, ele saberá se foi penalizado no ato”.

Para concluir, o sindicato informou que, conforme citado na reunião, devido as vagas remanescentes nesse mês de fevereiro, o voluntário poderá chegar a até 42 horas.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Faça seu comentário, deixe sua impressão. Essa inteiração é muito importante para nós!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta instituição.

EnglishPortugueseSpanish
Skip to content